Defensora Pública ministra palestra sobre direitos humanos para universitários


Publicado em 28/11/2017 12:57

Divulgação

Racismo, preconceito, desigualdade social, sistema penitenciário, cotas raciais, mercado de trabalho e deficiência. Estes foram alguns dos tópicos abordados pela defensora pública Luciana Costa na palestra sobre “O papel da Defensoria na Promoção de Ações Afirmativas”, ministrada na noite de segunda-feira, 27, no campus Palmas da Universidade Federal do Tocantins (UFT).  

O encontro contou com a participação de estudantes da disciplina de “Antropologia Cultural”, do curso de Filosofia e Artes, e envolveu um bate-papo com foco em direitos humanos. Na ocasião, Luciana Costa abordou o trabalho desenvolvido pelo Núcleo Especializado de Defesa dos Direitos Humanos (NDDH), do qual é coordenadora, e os impactos desse trabalho em ações afirmativas e direitos humanos no estado do Tocantins.

Um dos pontos de destaque da palestra foi a defesa pela cota racial. “O País é formado por 54% de população negra, mas os negros ainda são sub-representados nas esferas de poder. Eles são a maioria nas unidades prisionais, mas não são a maioria nos melhores postos de trabalho, nos espaços que eles deveriam ocupar e isso significa que ainda não temos a igualdade material”, defendeu Luciana Costa.

Ela abordou também o dia a dia do trabalho do NDDH, reforçando que a atuação é conjunta com os demais núcleos especializados da Defensoria. “Os direitos humanos está ligado a um leque de situações porque tudo está ligado ao humano e à vida”, ressaltou.

Após a apresentação da Defensora Pública, foi aberta uma mesa-redonda com os estudantes para dúvidas, orientações e trocas de experiências.


Projeto

A palestra é parte integrante do projeto “Defensores da Cidadania”, de realização do NDDH. Conforme a coordenadora do Núcleo, o objetivo é contribuir para a promoção dos direitos humanos com especial ênfase para a sensibilização e conscientização acerca do trabalho desenvolvido pelo NDDH e os impactos desse trabalho em ações afirmativas e direitos humanos no estado do Tocantins, por meio de uma aprendizagem que contribua com a formação de ouvintes protagonistas na concretização das normas e tratados internacionais de direitos humanos e na efetivação de seus direitos fundamentais em sua comunidade, estimulando o estudo, a pesquisa e a reflexão voltados para a matéria, com vistas à construção e consolidação da cidadania ativa.

O projeto visa despertar nos estudantes um olhar sensível, com vistas à criação de uma cultura universal de Direitos Humanos por meio da transferência de conhecimentos e habilidade.


Autor(a): Cinthia Abreu



 

Photo

Foto : Loise Maria